.posts recentes

. Amor incondicional

. Mel c- First Day Of My Li...

. Descartavéis

. Espirito Natalicio

. Limites

. Um dia...

. Silêncio

. Perdida...

. Maria do Rosário Pedreira...

. Orvalho da Alma

.arquivos

. Setembro 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

Segunda-feira, 16 de Maio de 2005

Até hoje em férias...

Há 12 anos atrás um rapazinho de 18 anos,decidiu ir passar as suas férias com a namorada,ou seja eu.
Como eu estava a trabalhar e as nossas casas estavam divididas pela ponte sobre o tejo,nada como ele ir para minha casa (da minha mãe),para podermos aproveitar o tempinho livre todo juntinhos.
Já nesse tempo a bagagem desse rapazinho era constituida pelo seu pc e aparelhagem de som,pois segundo ele a minha era rasca.
O tempo foi passando e as férias dele acabaram...
Mas apesar desse problema,decidimos continuar a passar féria os dois...
O tempo foi passando e quando demos por isso,mesmo com alguns vaips ocasionais de ele passar uma ou outra semana(nesses primeiros meses de adaptação...lol),na casa dos pais dele,fomos tendo o nosso primeiro filho e o segundo,que ao que se pensava era apenas uma dor de estomago matinal.
E quando nos damos conta,e ao contrário do que era previsto,cá estamos nós a passar férias,como costumamos dizer em tom de brincadeira.
Sem papéis assinados para mostrar ao mundo que somos casados,com dois filhos que nos ensinam que eles sim é que fazem parte do compromisso assumido,com algumas crises pelo meio como é normal,algumas discussões ocasionais,mas raras( juro que ás vezes fazem falta),e essencialmente sem cobranças de parte a parte (ops...ás vezes eu neste ponto é que sou melga),alguns ciumes a apimentar,e acima de tudo muito respeito.
Estas férias por vezes pecam pelo silêncio de apreciar a paisagem,mas isso por vezes chega a ser benéfico,desde que não seja construido um muro,mas que silenciosamente se construa uma ponte onde dois extremos se tocam.E o bom dessa ponte é que em qualquer altura,mesmo respeitando cada espaço,possa ser desbravado pelo residente da margem oposta.

Enfim são afinal de contas 12 anos,em que duas pessoas aprendem a conhecer-se,deixando cada um deles ter a sua própria individualidade,o seu espaço.
Apenas há um senão,é que em doze anos vai-se construindo uma grande amizade,carinho e respeito e analizando a relação,acaba-se por entrar no contracenso de que a chama da paixão inicial se foi extinguindo,ficando apenas AMOR.Fica a parecer que já temos tudo e que ao mesmo tempo não temos nada daquilo que inicialmente sentimos,porque já conhecemos demasiado bem os nossos pares.

Mas que venham mais 12 anos!!!
Ou talvez não!
Depende de ele ceder a usar a anilha de pombo.....heheheheh

Inté!!

publicado por gpr às 02:05

link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De Pescas a 16 de Maio de 2005 às 20:02
Parabénssssssssss! (E já agora... ganda "testamento" no meu blog, mas gostava que fossem todos assim) Beijosssss


De g0lden a 16 de Maio de 2005 às 12:23
A anilha de pombo,é mero capricho...já que não se discute por nada,tenho que inventar uma pequena birra,para estas "férias",não serem um tédio.
Até porque como sabes,um homem de aliança acaba por ser mais apetecivél do que um livre.Diz lá que até nem sou amiguinha???O homi é que não percebeu...
Beijokass


De Calvin a 16 de Maio de 2005 às 10:23
PS - Continuação de boas férias. :oD


De Calvin a 16 de Maio de 2005 às 10:22
A anilha é um mero detalhe. :o) O importante é isto: "[...] deixando cada um deles ter a sua própria individualidade [...]". Parabéns, não são muitos que o conseguem. :o)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds